A escolha dos métodos contraceptivos pode gerar muitas dúvidas. Segurança, hormônios, eficácia e efeitos são fatores para considerar na hora de escolher a melhor opção.

Cada método tem características específicas e na hora de optar pela melhor alternativa é fundamental consultar um profissional de saúde.

Para te ajudar a entender mais sobre isso, nós conversamos com a ginecologista e obstetra Thais Emy Ushikusa, que é líder médica da saúde feminina da Bayer Brasil, para passar informações que você precisa saber!

Confira os tópicos que vamos tratar neste post:

  • Qual método contraceptivo é mais seguro?
  • As diferenças e vantagens dos DIUs
  • Métodos contraceptivos e infecção sexualmente transmissível (IST)

 

Qual método contraceptivo é mais seguro?

Essa é uma das dúvidas mais comuns que as mulheres possuem quando começam a pensar sobre os métodos contraceptivos, então pode ficar tranquila porque você não está sozinha nessa.

A líder médica da saúde feminina da Bayer Brasil afirma que os métodos mais eficazes e seguros são os DIUs hormonais, DIU de cobre e implante subcutâneo.

Estes métodos são conhecidos como LARCS, sigla em inglês para “long-acting reversible contraceptives”, traduzido para o português como métodos contraceptivos reversíveis de longa ação.

“Isso porque eles não dependem da lembrança da usuária, são os chamados métodos esquecíveis, uma vez inseridos corretamente a mulher pode ‘esquecer’ deles e mesmo assim terá o máximo de sua eficácia. Por isso, no dia-a-dia eles chegam a ser 20 vezes mais eficazes do que métodos como pílula, adesivo e anel vaginal. Além disso, possuem poucas contraindicações, a maior parte das mulheres pode utilizá-los independentemente de sua idade ou se já tiveram filhos ou não, podem até ser usados por mulheres com alto risco ou que já tiveram trombose”, explicou a médica.

 

 

As diferenças e vantagens dos DIUs

Agora que você já sabe qual método contraceptivo mais seguro, vamos contar um pouco mais sobre o mais popular deles: o DIU.

No Brasil existem dois tipos de DIU hormonal, que se diferenciam basicamente pela quantidade de hormônio, tamanho do dispositivo e indicações. As opções hormonais promovem proteção para que a mulher não engravide por cinco anos.

Outra opção é o DIU de cobre, em que cuja principal diferença é a quantidade de cobre que cada um possui e o tempo de uso, que pode variar de três a 10 anos. No mercado nacional é possível encontrar diversas marcas e formatos deste tipo de DIU.

A ginecologista e obstetra Thais Emy Ushikusa, também aponta quais são as vantagens do DIU, que vão além de apenas evitar a gravidez.

“Um benefício do DIU, além da sua comodidade e alta eficácia, é não interferir na taxa hormonal da própria mulher. O DIU de cobre não tem hormônios e o DIU hormonal libera uma dose pequena de hormônios que atuam basicamente dentro do útero. Assim, nenhum deles bloqueia a ovulação e não interferem na produção hormonal própria da mulher, o que pode ser vantajoso para muitas. Além disso, os DIUs hormonais também costumam reduzir o fluxo menstrual, sendo que algumas mulheres chegam a parar de menstruar e reduzir cólicas menstruais, qualidades muito interessantes para uma parcela significativa de mulheres. O DIU hormonal de dose maior também é utilizado no tratamento do sangramento uterino anormal (SUA) que pode causar problemas de saúde e perda de qualidade de vida nas mulheres afetadas”, destacou.

 

Métodos contraceptivos e infecção sexualmente transmissível (IST)

É importante destacar também que, durante a escolha de qual método contraceptivo é mais seguro, além de pensar em uma gravidez não planejada, é preciso considerar a IST.

Neste caso, os únicos métodos contraceptivos que cumprem a função são os que promovem uma barreira para evitar a IST, ou seja, as camisinhas feminina e masculina.

“Infelizmente esses métodos possuem alta taxa de falha quando falamos em prevenir gravidez, podendo chegar até 18% de chance de falha ao ano. Para prevenir gestação não planejada, o ideal é pensar nos métodos mais eficazes antes, que são os LARCs. Assim, sempre recomendamos a dupla proteção, escolher um método anticoncepcional altamente eficaz que se adeque a seu estilo de vida e um preservativo para prevenir ISTs”, ressaltou Ushikusa.

Escolher de acordo com as suas necessidades e entender qual método contraceptivo mais seguro é fundamental. Por isso, é essencial se manter atenta e buscar auxílio de um profissional médico.

A líder médica da saúde feminina da Bayer Brasil deixa uma mensagem importante para todas as mulheres que ainda estão inseguras e em dúvida sobre qual método contraceptivo escolher.

“Primeiro, busquem informações confiáveis, o planejamento reprodutivo é essencial na vida das pessoas e não deve ser deixado de lado ou terceirizado para outra pessoa. Converse sempre com um profissional de saúde com conhecimento no tema, de preferência o ginecologista, ele é a melhor pessoa para esclarecer mitos e tirar dúvidas. Hoje sabemos que quando a mulher participa e escolhe o melhor método para si em conjunto com a equipe médica a taxa de satisfação com o método aumenta, é essencial nos sentirmos tranquilas e seguras com as nossas escolhas. E segundo, existem muitas opções de métodos anticoncepcionais, cada um com sua característica particular, e com certeza existe um melhor para você”, finalizou.

As informações que apresentamos aqui sobre qual método contraceptivo mais seguro não devem ser consideradas como um diagnóstico. Então, procure um médico, faça uma consulta e entenda quais opções são mais adequadas para as suas necessidades.

 

Doutora Thais Emy Ushikusa sorrindo

THAIS EMY USHIKUSA

LÍDER MÉDICA DE SAÚDE FEMININA – BAYER BRASIL

 

Médica ginecologista, obstetra e genitoscopista. Pós-graduada em gestão de negócios com ênfase no mercado farmacêutico.